Apresentação

Este mestrado destina-se a pessoas interessadas numa atividade relacionada com Organizações de Economia Social (associações, cooperativas, mutualidades, fundações, centros sociais paroquiais, misericórdias), não só as que tenham formação de base em Economia ou Gestão, mas também em Serviço Social, Educação Social, Psicologia, Direito, Engenharia ou noutras áreas.

Das dez disciplinas do plano curricular, metade têm por objetivo aprofundar cinco sentidos do que é a Economia Social: estudo da natureza social da atividade económica; estudo das explicações económicas de problemas sociais, ou com grandes implicações sociais (globalização, pobreza, desemprego, disparidades regionais, problemas ambientais); a Economia Social como o setor constituído pelas organizações de economia social; análise das políticas sociais; estudo dos processos de inovação e de empreendedorismo social. Nas outras disciplinas estudam-se matérias importantes para a Gestão de Projetos e de Organizações de Economia Social (metodologias de avaliação de projetos sociais, planeamento estratégico, gestão de pessoas e sistemas de gestão da qualidade).

Procuramos, assim, ajudar a formar pessoas para a unidade de valores de Humanidade, Solidariedade e Sustentabilidade que devem ser timbre da Economia Social.

Impacto na Carreira

O Mestrado em Economia Social está aberto a pessoas com formação de base não só em Economia ou Gestão, mas também em Serviço Social, Educação Social, Pedagogia Social, Sociologia, Psicologia, Direto, Engenharia e outras. Para todos os alunos, qualquer que seja a sua formação de base, este mestrado permite o seguinte:

  • desenvolver capacidade de análise económica das especificidades das organizações de Economia Social, dos problemas sociais aos quais a sua atividade se dirige, do contexto territorial (local, nacional e global) onde essa atividade se desenvolve e das políticas públicas que mais as influenciam;
  • tomar conhecimento e participar num leque variado de projetos e de redes nacionais e internacionais na área da Economia Social (projetos no terreno com Organizações de Economia Social, projetos de investigação, incubação de empresas sociais, cooperação para o desenvolvimento, etc.), com parceiros onde se incluem as organizações com maior representatividade da Economia Social em Portugal;
  • utilizar essa capacidade analítica e esse conhecimento prático para desenvolver competências capazes de contribuir para a melhoria da qualidade destas organizações de modos diversos como sejam a prestação de serviços de consultoria, o trabalho em organismos da Administração Pública Central ou Local relacionados com este setor, ou o exercício de funções de direção.

3 ideias-chave

  • uma formação integrada e equilibrada abrangendo as áreas mais relevantes da Economia e Gestão das Organizações de Economia Social.
  • um corpo docente que combina boa qualificação académica com muita experiência prática de trabalho no terreno com Organizações de Economia Social.
  • muitas sinergias com um vasto conjunto de projetos nacionais e internacionais em curso na Área de Economia Social da Católica Porto Business School nos quais os alunos podem colaborar.

Razões para escolher este mestrado

  • Bolsas de estudo que permitem pagar a totalidade, ou parte das propinas para alunos com dificuldades económicas, ou com mérito académico.
  • Possibilidade de participação num leque variado de projetos e de redes nacionais e internacionais na Área de Economia Social (projetos no terreno com Organizações de Economia Social, projetos de investigação, incubação de empresas sociais, cooperação para o desenvolvimento, etc.).
  • Possibilidades de trabalho em projetos e de contacto com um vasto grupo de parceiros nacionais e estrangeiros da Área de Economia Social da Católica Porto onde se incluem as organizações com maior representatividade da Economia Social em Portugal.
  • Uma formação integrada e equilibrada abrangendo as áreas mais relevantes da Economia e Gestão das Organizações de Economia Social.
  • Um curso que acolhe pessoas que podem não ter uma formação de base em Economia, ou Gestão, sem deixar de cumprir bem os critérios de exigência científica próprios de um mestrado.
  • Um corpo docente que combina boa qualificação académica com muita experiência prática de trabalho no terreno com Organizações de Economia Social.

Funcionamento

Calendário letivo

O calendário letivo para o ano 2017/2018 está aqui disponível.

Horário

Na generalidade dos programas de mestrado as aulas são de 2a a 6a, das 18h30 às 21h30, e sábado das 9h00 às 13h00. O calendário com a marcação de todas as aulas é divulgado aos estudantes no início de cada semestre.

Nos casos de disciplinas lecionadas por professores convidados poderá acontecer uma concentração de aulas em apenas alguns dias, mas com um horário mais intensivo. As aulas nestas circunstâncias serão programadas com a devida antecedência, permitindo tempo para realizar as diligências necessárias.

Regimes de Frequência

Os mestrados da Católica Porto Business School têm um regime de frequência único, mas flexível. O plano de estudos está desenhado de forma a que o mestrado tenha uma duração mínima de 3 semestres (um ano e meio). No entanto, para os alunos que desejem obter o grau de mestre enquanto mantêm a sua atividade profissional, é possível realizar o mestrado num prazo máximo de 5 semestres (dois anos e meio), o que permite distribuir a carga letiva por um período de tempo mais dilatado e, assim, conciliar os horários e carga profissionais com a frequência do mestrado. O início e o fim dos semestres são publicados anualmente no calendário letivo do 2º Ciclo da Católica Porto Business School (ver Calendário Académico).

Língua de Ensino

Português.

Local

As aulas dos Mestrados da Católica Porto Business School decorrem no Pólo da Foz da Católica no Porto. Para mais informações clique aqui.

Candidaturas

Condições de Acesso

Podem candidatar-se aos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão graduados de diferentes áreas científicas.

O processo de candidatura aos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica deve conter elementos que atestem da competência académica e científica dos candidatos, bem como do domínio da língua inglesa. Na avaliação das competências académicas e científicas a realização do teste GMAT é valorizado no processo de seleção.

Os candidatos serão selecionados considerando os seguintes critérios:

  • Currículo académico e científico
  • Classificação da licenciatura
  • Experiência profissional ou de investigação

Requisito do domínio da língua inglesa

A verificação deste requisito é efetuada através da apresentação de diploma oficial do nível oficial B2 de The Council of Europe’s Common European Framework of References for Languages, ou diploma equivalente.

Os alunos admitidos e que não satisfaçam o requisito do domínio da língua inglesa têm acesso a um teste de diagnóstico disponibilizado pela Faculdade de Economia e Gestão na respetiva fase de candidatura.

O teste de diagnóstico de língua inglesa consiste num exame equiparado ao nível B2 do Quadro Europeu Comum de Referência (upper-intermediate).A duração do exame será aproximadamente de 3 horas e a estrutura do exame pretende avaliar as seguintes capacidades:

  • Compreensão Auditiva
  • Gramática
  • Vocabulário
  • Leitura e Escrita de um texto

Para um melhor esclarecimento sobre a estrutura do teste de diagnóstico, poderão consultar testes modelo na página de internet de Cambridge Michigan e selecionar o teste correspondente ao ECCE - Examination for the Certificate of Competency in English.

Módulos de homogeneização

Aos alunos graduados em áreas distintas da economia e gestão pode ser exigida a frequência e aprovação em cursos intensivos de preparação base nestas áreas – Módulos de Homogeneização. Estes cursos são oferecidos pela Faculdade de Economia e Gestão em setembro, durante as semanas que precedem o início das aulas.

Recomenda-se, por isso, aos candidatos nestas condições que utilizem uma das duas primeiras fases de candidatura uma vez que a terceira fase não dará acesso aos Módulos de Homogeneização.

Candidaturas – 2017/18

As candidaturas aos Mestrados da Católica Porto Business School estão permanentemente abertas.

A Direção do programa reúne três vezes por ano para apreciar as candidaturas: março, julho e setembro. Na sequência da reunião, os candidatos são informados do teor da decisão e das etapas seguintes.

FaseDatas limite da apresentaçãoPeríodo de AvaliaçãoData de Comunicação dos resultados*Data Teste Diagnóstico - Inglês
15 março20 - 24 marçoaté 31 de março7 de abril - 18h30
04 julho11 - 17 julhoaté 21 julho26 de julho - 18h30
13 setembro14 - 18 setembroaté 20 setembro22 de setembro - 18h30

Elementos do Processo de Candidatura

  • Formulário de candidatura
  • Fotocópia do Documento de Identificação ou envio do Formulário com Informação dos Dados Pessoais
  • Uma fotografia
  • Curriculum Vitae (CV)
  • Certificado de habilitações discriminado* (original ou cópia autenticada)
  • Diploma oficial de inglês, nivel oficial B2 de The Council of Europe’s Common European Framework of References for Languages, ou diploma equivalente (TOEFL, IELTS, FCE ou CAE). Os licenciados da Católica Porto Business School estão dispensados da entrega deste diploma.
  • Duas cartas de referência (elemento facultativo para os atuais ou ex-alunos FEG)
  • Elementos complementares de avaliação (e.g., GMAT,...) (facultativo)

* Do certificado devem constar as unidades curriculares realizadas, respetiva classificação e ECTS, bem como a média final do curso. Caso ainda não tenha concluído a licenciatura é necessário apresentar a certidão comprovativa das unidades curriculares realizadas, respetiva classificação e ECTS, bem como a média atual.

NOTAS
  • No caso de o país no qual concluiu a licenciatura não ter aderido ao Processo de Bolonha, o certificado deverá indicar, em vez dos ECTS de cada unidade curricular, a respetiva carga horária.
  • Os candidatos que realizaram a licenciatura em país estrangeiro deverão apresentar o certificado de habilitações: a) legalizado por autoridade diplomática ou consular portuguesa, ou b) com a Apostilha de Haia emitida pela autoridade competente do país emitente, no caso de esse país ter aderido à Convenção Relativa à Supressão da Exigência de Legalização de Atos Públicos Estrangeiros (Conferência de Haia).
  • Quando os documentos a apresentar se encontrem redigidos em língua estrangeira que não a língua espanhola, inglesa ou francesa, deve ser entregue a respetiva tradução a qual, no caso do certificado de habilitações, deve ser efetuada nos termos previstos na lei notarial.

Apresentação da Candidatura

A candidatura pode ser apresentada presencialmente na secretaria dos Serviços Académicos e Loja do Candidato* ou através do preenchimento de formulário online aqui
A submissão da candidatura por email não dispensa a apresentação dos documentos originais à data da matrícula em caso de admissão.

Secretaria dos Serviços Académicos da Universidade | 2ª a 6ª feira (9h45-11h45 | 14h15-16h15 | 18h00-20h00)
*Loja do Candidato (a partir de 26 de junho 2017) | 2ª a 6ª feira (9h30-13h00 | 14h30-18h00)

Poderá consultar aqui o aviso de abertura de candidaturas aos mestrados da Católica Porto Business School.

Para mais informações

Email: candidaturas@porto.ucp.pt

Tel: 800 105 632 | +351 226 196 206

Propinas

Programa Full-Time

  • Apresentação da candidatura: gratuita
  • Aceitação e Matrícula no Mestrado: €610. Este valor não é reembolsável em caso de anulação da matrícula.
  • Propinas 1º ano (parte curricular: 60 ECTS): 10 prestações de €516
  • Propinas 2º ano (dissertação, projeto ou estágio: 36 ECTS): 5 prestações de €619,20

Nota: estes valores são calculados de acordo com a tabela de taxas e propinas em vigor para o ano letivo 2016/17

Bolsas de Mérito

A Direção da Católica Porto Business School decidiu criar um conjunto de Bolsas de Estudo com o propósito de premiar o mérito dos alunos cujo desempenho académico assim o justifique. As mesmas consistem na isenção total de pagamento de propinas até ao limite máximo de 36 ECTS por semestre e também das taxas de inscrição e matrícula.

São elegíveis para atribuição de bolsa os candidatos que tenham uma média de candidatura de no mínimo 16,0 valores de uma instituição de ensino superior portuguesa ou apresentem um GMAT com classificação igual ou superior a 650 pontos.

As bolsas de mérito podem ser renovadas em cada semestre. Os critérios de elegibilidade para atribuição de bolsa no 2º e 3º semestre de mestrado são:

  • Conclusão de um mínimo de 30 ECTS por semestre, na componente curricular, com ausência de reprovações em qualquer das épocas de exame: normal e recurso;
  • Média ponderada por créditos, das classificações obtidas na totalidade das disciplinas inscritas no semestre anterior ao da atribuição da bolsa, igual ou superior a 16,0 valores.

Os alunos que concluírem a licenciatura numa instituição de ensino superior estrangeira apenas serão elegíveis para atribuição de bolsa se apresentarem um GMAT com classificação igual ou superior a 650 pontos.

Consulte aqui o regulamento.

Bolsas Sociais

Existem Bolsas Sociais para apoiar o pagamento da propina: Bolsas da Direção Geral de Ensino Superior (www.dges.mctes.pt) e Bolsas Sociais da Universidade Católica Portuguesa. Para mais informações pode dirigir-se à Área de Estudantes e Empregabilidade (ee.bolsas@porto.ucp.pt; 22 619 62 26).

Linhas de Crédito

A Universidade Católica Portuguesa dispõe também de protocolos com instituições de crédito, com vista à obtenção de linhas de crédito para financiamento dos estudos.

TestemunhosTestimonials
Ana Raquel Veiga

Ana Raquel Veiga

A escolha do Mestrado em Economia Social na Católica Porto Business School privilegiou, antes de mais, o que a instituição de ensino Católica representa em Portugal.
A motivação para este curso foi, essencialmente, a minha vontade de aprofundar áreas abordadas ao longo da licenciatura em Economia, de maneira a conhecer melhor o mundo de hoje e os seus problemas sociais. De facto, este mestrado permitiu-me alargar esse conhecimento, especialmente sobre questões como a globalização e as suas implicações sociais, a pobreza e outras formas de exclusão social e sobre a necessidade de inovar nas respostas a estes problemas.
Estou certa de que a aposta neste curso conduz à obtenção de um conjunto de ferramentas singular que permitem olhar de forma inovadora para os problemas sociais.

ver mais read more fechar close

Perguntas Frequentes

    Contactos

    Direção do 2º Ciclo

    Francisca Guedes de Oliveira
    foliveira@porto.ucp.pt

    Direção do Mestrado em Economia Social

    Américo Mendes
    amendes@porto.ucp.pt

    Assessoria da Direção

    Daniela Silva
    dssilva@porto.ucp.pt
    ext. 221

    Strategic Leadership Hub

    slh@porto.ucp.pt
    226 196 223
    226 196 253

    EE – Serviço Estudantes e Empregabilidade - Foz

    ee.geral@porto.ucp.pt
    ext. 226

    Equipa
    • Maria Lopes Cardoso - Coordenadora
    • Ana Martins
    • Lara Pacheco
    • Maria Luísa Barbosa
    • Sandra Neves
    Serviços Académicos

    sa.feg@porto.ucp.pt
    ext. 206/207

    Teresa Lopes - Diretora
    tlopes@porto.ucp.pt
    ext. 207

    Dora Bastos
    dbastos@porto.ucp.pt
    ext. 207

    Tesouraria

    Isabel Noverça
    inoverca@porto.ucp.pt
    ext. 205

    Raquel Cabral
    rcabral@porto.ucp.pt
    ext. 205

    Sistemas e Tecnologias de Informação

    suporte@porto.ucp.pt
    ext. 297

    Serviço de Mobilidade e Relações Internacionais

    Magda Ferro - Coordenadora
    internacional@porto.ucp.pt
    ext. 285

    Contacte-nos