Medir o desempenho por metas relativas

Vida Económica, 26 maio 2017

Os ciclos de gestão das organizações comportam, normalmente, o estabelecimento de objetivos, consubstanciados em metas para o desempenho ambicionado. Estas metas podem abranger diversas dimensões e naturezas. Exemplos de opções disponíveis incluem: financeira/não-financeira; curto-prazo/longo-prazo; interna/externa; lagging/leading. De entre as opções, algumas organizações têm explorado a utilização de metas relativas, que procuram medir e fixar objetivos de desempenho em comparação com uma referência determinada. O exemplo mais simples será comparar o comportamento do Volume de Negócios entre competidores. Outros exemplos de metas relativas encontrados em empresas, vão desde as financeiras, tais como estar acima da média do primeiro quartil na Rentabilidade do Capital Empregue do setor (banco de origem sueca), até aos drivers de valor futuro (leading), tais como o registo do maior número de patentes para novos produtos em Portugal (produtora de material sanitário).

Ler artigo completo